domingo, 10 de dezembro de 2017

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) MAGUILA, O GORILA (MAGILLA GORILLA) Nº 09 - 1966 GOLD KEY COMICS / HANNA-BARBERA


MAGUILA, O GORILA (MAGILLA GORILLA) Nº 09 - 1966 GOLD KEY COMICS / Uma publicação de 1966, esta edição também apresenta histórias com mais duas duplas de personagens de Hanna-Barbera, publicados pela editora, tal como na televisão, quando o Show do Maguila, em seu desenho animado, era exibido. Os dois segmentos em desenhos no mesmo programa, era o Coelho Ricochete e Blau-Blau, e Chumbinho e Bacamarte, sempre de forma intercalada. No desenho da TV, foram produzidos 31 episódios entre 5 e 7 minutos de duração, entre 1964 e 1967. Maguila sendo um gorila,  morava na loja de comidas e animais do senhor Peebles, e sempre estava na vitrine fazendo caras e bocas na expectativa de um dia quem sabe, algum louco o levar para casa! De vez em quando ele era comprado por alguém, mas logo em seguida ele sempre acabava sendo devolvido para a loja, devido as atrapalhadas que se metia, geralmente devido a sua imensa força física, além de ser uma "fera" em arrumar confusão! Maguila, apesar do tamanho, tinha um coração enorme, muito bondoso e ingênuo. Somente o Sr. Peebles é que ficava apavorado toda vez que ele era devolvido, porque não era fácil alimentar um gorila daquele tamanho, e os cachos de bananas que ele consumia. Embora não seja o desenho animado que aqui se encontra, vale ressaltar a grandiosa dublagem brasileira para esses personagens magníficos e que se tornaram inesquecíveis para nós, pela magia das vozes emprestadas, aliada a cada personagem que víamos na televisão. Neste caso aqui, a dublagem ficou a cargo da AIC-SP (Arte Industrial e Cinematográfica).











DUBLAGEM AIC-SP

- Maguila / dublador original: Allan Melvin (esteve presente em séries como O Show do Andy Griffith, A Família Brady/A Família Fá-Sol-Lá-Si-Dó e Perdidos no Espaço) / dublador brasileiro: Flávio Galvão

- Sr. Peebles / dublador original: Howard Morris / dublador brasileiro: Older Cazarré (1ª voz), José Soares (2ª voz)

- A pequena Oreu (menininha amiga de Maguila):  dublador original: Jean Vander Pyl /  dublador brasileiro: Aliomar de Mattos (1ª voz), Maria Inês (2ª voz)

F  I  M

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - DOM PIXOTE (HUCKLEBERRY HOUND) Nº 13 - 1961 DELL COMICS / HANNA-BARBERA


GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - DOM PIXOTE (HUCKLEBERRY HOUND) Nº 13 - 1961 DELL COMICS /  Embora esta publicação seja americana, ao contrário de Chuvisco e Plic e Ploc e Bacamarte e Chumbinho, nos anos 60 e 70, Dom Pixote teve sua própria revista lançada pela Editora O Cruzeiro, a primeira a publicar os quadrinhos de Hanna-Barbera no Brasil. e a exemplo da publicação americana, alguns personagens dividiam as 36 páginas coloridas com ele, Chuvisco e Plic e Ploc (Pixie and Dixie and Mr. Jinks), Zé Colméia e Catatau (Yogi Bear and Boo Boo), e Joca e Dingue-Lingue (Hokey Wolf and Ding-a-Ling). Lá fora, era garantia de sucesso absoluto de vendas, tendo em vista a exibição dos desenhos animados na televisão, e que a garotada toda acompanhava muito, inclusive alguns títulos exibidos em horário nobre, como era o caso de Os Flintstones, Manda-Chuva, etc. Esses desenhos animados, se popularizaram cada vez mais, na sessão denominada de "Saturday Morning Cartoon", já no inicio dos anos 60, com uma manhã recheada de desenhos animados e de aventuras. Dom Pixote foi criado em 1958 por William Hanna e Joseph Barbera, do maravilhoso mundo do estúdio Hanna-Barbera! Um cachorro de cor azul, que se tronou uma de suas características marcantes quando a cor foi adicionada acidentalmente ao personagem, que já tinha um sotaque mais do campo e das montanhas, de personalidade calma, doce e bem intencionado, em pouco tempo ele conquistou uma legião de fãs mirins e adolescentes por onde o desenho animado era exibido. Aqui no Brasil, a dublagem do desenho ficou a cargo do excepcional estúdio, AIC-SP (Arte Industrial e Cinematográfica), dublado por Older Cazarré, cuja voz emprestada ao personagem, ficou perfeita com sua personalidade, inclusive quando ele gostava de cantarolar a frase da música "Oh, querida Clementina"(do inglês "Oh My Darling, Clementine") e "Tenho que admitir que"... (do inglês "I have to admit"...). A Sincrovideo também foi responsável por outra parte da dublagem posteriormente.  Em quatro temporadas, foram mais de 50 curtas de animação. A idéia de se produzir O Show do D. Pixote, (Huckleberry Hound Show) surgiu logo depois de 1944 quando os diretores do departamento de animação da Metro-Goldwyn-Mayer, William Hanna e Joseph Barbera fundaram uma companhia chamada H-B Enterprises, que se dedicava a produção de comerciais para a televisão. Alguns anos depois, em 1957, a MGM resolveu fechar o seu estúdio de animação, deste modo William e Joseph converteram a H-B Enterprises e a transformaram na Hanna-Barbera Productions, uma produtora de animação dirigida para a televisão, e sendo D.Pixote, o segundo desenho produzido pelo estúdio e apresentado na televisão (Jambo e Ruivão (The Ruff and Reddy Show) foi o primeiro). O patrocínio americano exclusivo, era do cereal Kellogg's, e no Brasil, a Fábrica de Brinquedos Trol foi a primeira a patrocinar o show na televisão. Além de uma linha grande de produtos com o personagem, os quadrinhos sempre foram prioridade para testar a audiência e aceitação por parte do público telespectador, principalmente o infanto-juvenil. E as duas maiores editoras americanas foram as pioneiras a fazer isso, a Dell Comics e a Gold Key.










F  I  M

sábado, 9 de dezembro de 2017

ÁLBUM DE FIGURINHAS ANTIGOS (STICKER ALBUM / LIVRO ILUSTRADO / FIGURILLAS ALBUM / BUBBLE GUM / ALBUM CROMOS / АЛЬБОМ фигурок / АЛЬБОМ стикеров / ALBUM-Figuren / ALBUM AUFKLEBER) - CHIPS (CALIFORNIA HIGHWAY PATROL - TV SHOWS) - 1982 MULTI EDITORA E PUBLICIDADE LTDA


ALBUM DE FIGURINHAS - CHIPS (CALIFORNIA HIGHWAY PATROL - TV SHOWS) - 1982  MULTI EDITORA E PUBLICIDADE LTDA / Na minha opinião, eu achei que até demorou pouco mais do que imaginava o lançamento do álbum de figurinhas da série de sucesso CHIP's, produzida ente 1977 e 1983 em suas 6 temporadas, num total de 139 episódios. A Multi Editora e Publicidade Ltda, entrou com tudo no mercado editorial, sendo a primeira a lançar o álbum de Chip's no Brasil, em 1982, com 216 figurinhas com cenas dos episódios da série, além de escudos e logomarcas mundiais de Motocicletas. Detalhe: As motocicletas usadas pelos dois Patrulheiros, eram da marca Kawasaki. Na série da televisão, o roteiro se baseia essencialmente no dia a dia de dois Patrulheiros Rodoviários da Califórnia. Aqui no Brasil, foi sucesso absoluto de audiência pelas emissoras em que a série foi exibida, e os dois atores principais da série, se tornaram famosos da noite para o dia, mesmo tendo havido trabalhos anteriores realizados pelos dois. Robert Pine é o Sargento Joe Getraer, Larry Wilcox é John Baker, e Erik Estrada é Frank "Ponch" Poncherello, este último, se tornou um símbolo sexual das mulheres nos anos 70 e inicio dos anos 80, e talvez seja, o responsável direto por alavancar a audiência e popularidade por onde foi exibida, devido a sua personalidade na série. Retornando ao álbum publicado por aqui, você vai retornar ao tempo visualizando algumas páginas deste álbum completo muito procurado por colecionadores. 











F  I  M

GIBIS ANTIGOS / JORNAIS ANTIGOS / SUPLEMENTOS INFANTIS / TIRAS DE JORNAIS (CLASSIC COMICS / OLD NEWSPAPERS / PERIODICO / SUPLEMENTO / COMIC STRIP) - SUPER PLÁ Nº 01 - 1971 EDITORA SUPER PLÁ LTDA


SUPER PLÁ Nº 01 - 1971 EDITORA SUPER PLÁ LTDA / Uma publicação semanal de todas às quintas-feiras, de 24 páginas coloridas e em preto e branco, que inexplicavelmente teve somente 7 exemplares publicados em 1971. No formato tablóide, como Globo Juvenil, Suplemento Juvenil, Gazeta Juvenil, Gibi Semanal entre outros, SUPER PLÁ trazia para o público leitor, grandes clássicos dos quadrinhos mundiais, e tiras de jornais, e também, alguns personagens brasileiros. O criador deste suplemento, Hélio Fittipaldi, fundou duas editoras, a Saber Ltda. que, apesar do nome, não era a mesma Saber S/A de seu pai, Savério Fittipaldi, e a Editora Super Plá. cuaj idéia principal, era ter como carro-chefe, o tablóide de mesmo nome. A propósito, Super Plá veio da famosa novela da Rede Tupi de Televisão, exibida entre 1969 e 1970, cujo título é o nome de um refrigerante. A publicação essencialmente eram de personagens da King Features e da Disney. Os suplementos semanais fizeram sucesso no Brasil por várias décadas e devem ser considerados parte fundamental da história dos quadrinhos publicados em nosso país.No primeiro número, que tinha o Tio Patinhas em destaque na capa, estava a sessão Cantinho do Leitor. Começava com uma aventura do Fantasma com roteiro de Lee Falk e arte de Si Barry, na qual o velho Moz, um sábio ancião das selvas, narra a suposta história na qual o Espírito-que-Anda enfrentou uma feiticeira. O Príncipe Valente teve direito a uma página, com arte do inigualável Hal Foster. Brick Bradford enfrenta ameaças no planeta Xeno, com arte e roteiro de Paul Norris. Zorro e Tonto tentam ajudar um mensageiro do exército, com texto de Paul S. Newman e arte de Charles Flanders. Tim Tyler trazia as aventuras de Tim e Tom, em busca de uma árvore rara, com roteiro de Lyman Young e arte de Tom Massey. O ponto predominante de todo suplemento que também seguia as publicações das tiras de jornais, era o fato das histórias serem em formato de seriados, ou seja, "continua no próximo número". A primeira edição desse título trás vários quadrinhos curtos e completos, todos cômicos, de épocas diversas, de séries como Pinduca (Carl Anderson), Pafúncio (Bill Kanavagh e Frank Fletcher), Blondie (Chic Young), Pena Verde (Gordon Bess), Tijolada (Bob Weber), O Reizinho (Otto Soglow), Mickey Mouse, o Coelho Quincas, O Capitão e os Garotos / Sobrinhos do Capitão (Joe Musial), Zé o Soldado Raso (Mort Walker), O Sabichão (de Bob Montana, o criador de Archie), Doce Lar (Mort Walker e Dik Browne), Popeye (Bud Sagendorf), Banzé, A Nossa Turma (Bud Blake), A Vovozinha (Frank Roberge), Espoleta (Ted Shearer), Pato Donald e Tio Patinhas. Para variar, não havendo uma explicação lógica para isso, ou registros impressos, é de que alguns personagens vinham com outros títulos em seus nomes, mesmo tendo sido publicados no Brasil anteriormente. Assim, Mancada virou Tijolada; Zezé e Cia. passou a se chamar Doce Lar; Touro-Sentado (que também teve o título de Pé-frio) estava como Pena Verde; A Garota Pra Frente também foi conhecida como Pingafogo e Filomena. dois personagens brasileiros fizeram parte da publicação: O Praça Atrapalhado e Dr. Estripa, ambos, criados por Eduardo Carlos Pereira, que assinava como Edú. O Praça era uma variação do Recruta Zero, com um soldado que sempre deixava o Sargento maluco. Já o Dr. Estripa era um médico nada recomendável. E edição nº 2, trouxe Mickey, Coelho Quincas, Brick Bradford, O Praça Atrapalhado, Zorro, Príncipe Valente, O Capitão e os Garotos, Pinduca, O Sabichão 9que nada mais é, do que Archie da turma do Archie, por Bob Montana), Doce Lar / Zezé, Fantasma, Popeye, Zé o soldado Raso, Banzé, A Nossa Turma / Minduim / charlie Brown, Pena Verde, Tijolada, Tim Tyler, Reizinho, Pingafogo, A Vovózinha, Pato Donald, Os sobrinhos de Donald, e Espoleta de Ted shearer. A edição nº 3, trouxe a estréia do Tarzan enfrentando os Homens-Fera, no traço de Russ Manning, além do Brucutu de V.T.Hamlin, com o famoso Homem das Cavernas metido em encrencas com o Rei Guz, mandatário da cidade de Moo. Na edição nº 4, aparecem Terry e os Piratas por George Wunder, A Família Buscapé por Al Capp, Os Náufragos de Howard Post e Snuffy Smith (que também foi conhecido como Zé Fumaça e Capim Gordura) de Fred Lasswell. Na capa da edição nº 5, notícias passam a dividir o espaço com as chamadas dos quadrinhos, um possível sinal de que as vendas não deviam ser o esperado. Na edição nº 6, os destaques foram a chegada do Flash Gordon de Dan Barry e do Mandrake de Lee Falk e Fred Fredericks e com direito de foto de capa, com o comunicador do Brasil, Sílvio Santos, com uma matéria sobre o Ibope. Finalmente na última edição, a de nº 7, estrearia o Capitão Cesar de Leslie Turner. O suplemento Super PLÁ foi um título pouco conhecido, mas que trouxe uma gama rica e variada de clássicos personagens da nona arte. E hoje, me considero um colecionador de sorte, porque tenho a coleção completa e muito bem conservada de SUPER PLÁ!
























F  I  M